Curso de microscopia organizado pelo LNNano

SBMM em 29/01/2016

IMG_6746

Cerca de 80 pessoas participam da sexta edição do TEM Summer School, evento que reúne estudantes de mestrado e doutorado e pesquisadores em Engenharia, Ciência dos Materiais, Física, Química e outras áreas correlatas para um treinamento aprofundado em técnicas de caracterização de materiais, utilizando a microscopia eletrônica de transmissão. A escola é realizada a cada dois anos e tem duração de três semanas, entre 11 e 29 de janeiro de 2016.

Durante as primeiras duas semanas, pesquisadores de renome no campo da microscopia eletrônica, ligados a importantes institutos de pesquisa e a universidades do Brasil e do mundo, apresentam os conceitos teóricos e práticos da técnica em palestras que podem ser assistidas pelo link disponível na homepage do evento: http://pages.cnpem.br/temsummerschool. Vídeos de edições anteriores do evento também estão disponíveis no canal do LNNano no Youtube. As fotos estão disponíveis no Facebook.

Entre os dias 25 a 29 de janeiro, participantes selecionados terão acesso às instalações do LNNano para as aulas práticas nos microscópios abertos ao uso das comunidades científicas e empresariais do Brasil e do mundo.

Participaram da mesa redonda na abertura do evento: José Roberto de França Arruda, membro da Coordenação Adjunta de ciências exatas e engenharias da Fapesp; Karla Balzuweit, vice-presidente na área de materiais da Sociedade Brasileira de Microscopia e Micronanálise (SBMM) e Rodrigo Villares Portugal, diretor pro tempore do LNNano.

O curso é realizado no campus do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), em Campinas, interior de São Paulo e é realizado pelo Laboratório de Microscopia Eletrônica (LME) do Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano). O evento tem apoio da Capes, CNPq e FAPESP. Para mais informações, acesse: http://pages.cnpem.br/temsummerschool.

 

Sobre o LNNano

O Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano) está localizado em Campinas-SP e é integrante do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), uma organização social qualificada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). O Laboratório, aberto a usuários, busca, por meio de pesquisa in house, explorar oportunidades oferecidas pela nanotecnologia para atender às necessidades da agricultura, indústria e serviços, em âmbito regional, nacional e internacional. O LNNano também atua na criação e desenvolvimento de produtos e processos sustentáveis, através de seus cinco laboratórios: de Microscopia Eletrônica, de Microfabricação, de Ciência de Superfícies, de Materiais Nanoestruturados e de Caracterização e Processamento de Metais.

 

Sobre o CNPEM

O Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) é uma organização social qualificada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Localizado em Campinas-SP, possui quatro laboratórios referências mundiais e abertos à comunidade científica e empresarial. O Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS) opera a única fonte de luz Síncrotron da América Latina e está, nesse momento, construindo Sirius, o novo acelerador brasileiro, de terceira geração, para análise dos mais diversos tipos de materiais, orgânicos e inorgânicos; o Laboratório Nacional de Biociências (LNBio) desenvolve pesquisas em áreas de fronteira da biociência, com foco em biotecnologia e descoberta de fármacos; o Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia de Bioetanol (CTBE) investiga novas tecnologias para a produção de etanol celulósico; e o Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano) realiza pesquisas com materiais avançados, com grande potencial econômico para o país.

 

Os quatro Laboratórios têm, ainda, projetos próprios de pesquisa e participam da agenda transversal de investigação coordenada pelo CNPEM, que articula instalações e competências científicas em torno de temas estratégicos.

 

Sobre o evento

Realizado pela primeira vez em 2007, o evento nasceu da necessidade de treinar pesquisadores nas técnicas de microscopia, para que eles pudessem submeter propostas de pesquisa para os equipamentos disponíveis no LME/LNNano. O crescimento dessa comunidade e da procura pelas técnicas de microscopia eletrônica de transmissão fez com que o evento se estabelecesse como bianual para contribuir na formação de novos usuários.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone