Conheça a missão que enviará projeto de 8 estudantes brasileiros ao Espaço

Publicado em 17/08/2017
Vix em agosto/2017

Depois de 12 anos, um projeto brasileiro será enviado à Estação Espacial Internacional (ISS). A última vez havia sido a Missão Centenário, na qual o astronauta Marcos Pontes foi ao espaço. Mas dessa vez, os responsáveis pelo experimento científico serão jovens estudante de até 15 anos.

Projeto de crianças e adolescentes vai ao espaço

Em 2018, um experimento brasileiro será enviado à ISS. Ele será escolhido entre pelo menos 75 projetos cujos autores serão estudantes de ensino fundamental, a maior parte deles do sétimo ano.

Ao todo, serão selecionados entre 450 a 600 crianças para o programa: eles se dividirão em grupos de oito e o melhor projeto entre todos será escolhido pela Nasa para ir ao espaço.

“É a primeira vez que uma comunidade fora da América do Norte teve aprovação no programa, e estamos muito animados com a oportunidade”, disse em comunicado Lucas Fonseca, diretor da Missão Garatéa-ISS, que fará parte da 12ª edição do Student Spaceflight Experiments Program (“programa estudantil de experimentos espaciais”, em tradução livre).

“Os estudantes terão aulas específicas de disciplinas científicas, como micro-gravidade. É totalmente deles a responsabilidade de produzir o plano de pesquisa, definir os materiais, métodos e objetivos do experimento”, explica Sandra Tonidandel, coordenadora programa de pré-iniciação científica do Colégio Dante Alighieri, parceira do Garatéa neste programa.

Quem pode participar

Do grupo de estudantes que integrarão o programa, pelo menos 300 deles serão alunos do Dante Alighieri, e os outros (pelo menos) 150 serão virão de escolas públicas do estado de São Paulo. Sandra Tonidandel afirma que este número pode ser maior. “Os alunos de escolas públicas serão integrados ao projeto. A seleção será via ONGs escolhidas pela Missão Garatéa. Haverá convites e será aberto para quem tiver interesse”, afirmou.

Os alunos brasileiros responsáveis pelos experimentos irão apresentar os projetos em Washington, nos Estados Unidos, junto dos estudantes americanos que participarão do mesmo programa. O projeto será assessorado por cientistas ligados à Nasa, além de pesquisadores brasileiros da Universidade de São Paulo e do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron.

“Neste projeto, o maior objetivo é mostrar que os jovens brasileiros, quando têm oportunidade, também podem fazer ciência em alto nível e contribuir para a exploração espacial de forma integrada”, concluiu Sandra.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone