Ciência competitiva e voltada a grandes desafios

Os quatro Laboratórios Nacionais que integram o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) reuniram simultaneamente seus comitês científicos no Campus da Instituição, dentre os dias 18 e 20 de agosto de 2015. Ao todo, 28 renomados profissionais de instituições de pesquisa e empresas do Brasil e do exterior participaram dos comitês dos Laboratórios Nacionais de Luz Síncroton (LNLS), de Biociências (LNBio) de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE) e de Nanotecnologia (LNNano). Os comitês avaliaram e propuseram sugestões de melhorias aos programas de pesquisa, instalações, corpo técnico e outros assuntos ligados às atividades dos Laboratórios. Esta é a primeira vez na história da instituição que os quatro comitês se reúnem em uma agenda conjunta do CNPEM.

Um dos principais diferenciais dos comitês reunidos em Campinas-SP é o alto nível técnico e curricular dos comitentes. No LNBio, por exemplo, o comitê científico foi liderado por Sir Simon Fraser Campbell, coordenador das equipes de pesquisa que descobriram as drogas Viagra, Cardura e Norvac, desenvolvidas pela empresa Pfizer. Outro comitente do LNBio de destaque é Stephen Hill,  docente no Departamento de Farmácia da Universidade de Nottingham. De acordo com o International Statistical Institute (ISI), ele é um dos melhores 250 pesquisadores individuais em farmacologia. Hill atuou no conselho editorial do British Journal of Pharmacology.

O comitê científico do LNBio exaltou a excelência do time de pesquisadores, inclusive dos jovens cientistas. O grupo internacional recomendou a dedicação de, ainda mais esforços, para a instauração da unidade de descoberta de drogas. Esta plataforma integrada se dedicará à investigação de moléculas bioativas, alvos terapêuticos e a atividades ligadas à química medicinal.

Já no LNLS, o comitê parabenizou o grupo de engenharia por ter redesenhado o acelerador principal do Sirius usando um novo modelo de encadeamento magnético, o que aumentou o número de ímãs em cada trecho da fonte (5-bend-achromat). “A nova rede magnética proposta teve sucesso em reduzir a emitância e aumentar significativamente o brilho da fonte de luz”, destacou Jean Susini, líder da Divisão de Serviços e Desenvolvimento em Instrumentação no síncrotrotron europeu ESRF. O novo desenho permitirá a realização, no Sirius, de uma nova classe de experimentos científicos que só podem ser feitos em síncrotrons de alta energia e coerência.

O comitê científico do LNLS foi composto por pesquisadores renomados como Andrew Peele, diretor do Síncrotron Australiano desde 2013. Peele foi líder do grupo de Ciências de Raios-X no Departamento de Física da Universidade de La Trobe. Outro comitente de destaque é José Antônio Brum, pesquisador titular do Instituto de Física da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e coordenador adjunto do Programa de Equipamentos Multiusuários da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). Brum foi diretor-geral da Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron entre 2001 e 2009 e possui experiência na área de Física de Semicondutores, com ênfase em nanoestruturas.

No CTBE, o comitê científico contou com nomes de peso como, Isaías de Carvalho Macedo e Bruce Dale. Macedo possui longa experiência junto ao setor produtivo de etanol e à academia. Ele foi superintendente do Centro de Tecnologia Canavieira (CTC/COPERSUCAR) e é pesquisador associado do Núcleo Interdisciplinar de Planejamento Energético (NIPE) da UNICAMP. Já Bruce Dale foi selecionado pela Bioenergy Digest nos últimos quatro anos para integrar o ranking Top 100 People in Bioenergy. Ele possui cerca de 250 artigos científicos publicados e 42 patentes.

O comitê do CTBE elogiou a qualidade da estrutura física e formação de RH, assim como a reestruturação organizacional feita no início desse ano, que permitiu maior foco às pesquisas. Também destacou o fato de quase 50% do orçamento do Laboratório ser proveniente de fontes de recursos externas ao contrato de gestão com o Ministério da Ciência, Tecnologia e inovação (MCTI), muitas delas oriundas de projetos em parceria com empresas. “Isso é um indicador de que o CTBE tem feito a coisa certa”, comentou Alan Garside, consultor internacional sobre produtividade de cana.

O grupo também ressaltou a localização privilegiada do Laboratório, próximo ao maior polo brasileiro de produção de cana-de-açúcar e etanol. Na visão deles, é imprescindível trabalhar próximo à indústria, em assuntos ligados à primeira e à segunda geração de produção de etanol. “No atual estágio do CTBE, vocês precisam identificar os principais gargalos do setor e definir de forma mais direcionada como trabalhar para resolvê-los, com metas para os próximos anos, mostrando que são um forte aliado da cadeia sucroenergética”, enfatizou Manoel Teixeira Souza Júnior, Chefe-Geral da Embrapa Agroenergia.

Por fim, o comitê científico do LNNano também ressaltou a qualidade da infraestrutura de pesquisa disponível nos laboratórios e da equipe de pesquisadores. Em particular, acharam a operação do Centro um desafio gigantesco, dado as enormes limitações de seu orçamento, quando comparado a iniciativas similares de outros países. Segundo eles, isso irá dificultar ter um impacto significativo na capacitação do Brasil nesta área.

O comitê do LNNano foi composto este ano por seis profissionais, coordenado por Brian Vincent, PhD pela Universidade de Bristol e membro internacional do Conselho Técnico Consultivo do Instituto de Pesquisas Ian Wark, na Austrália. Outro comitente presente foi Bharat Bushan, diretor do Laboratório de Nanossondas para Biotecnologia & Nanotecnologia e Biomimética (NLB2) da Universidade Estadual de Ohio, nos EUA. Estudioso em áreas interdisciplinares de bio e nanotribologia, nanomecânica e nanomateriais, Bushan foi assessor da Câmara dos Deputatos dos EUA, entre 2013 e 2014.

No último dia das atividades de avaliação, dois comitentes de cada Laboratório Nacional, os diretores destes Laboratórios e o Diretor-Geral do CNPEM, Carlos Américo Pacheco, participaram de uma reunião de encerramento. Este encontro teve como principal objetivo a apresentação das avaliações dos Laboratórios, assim como a exibição de recomendações para o Centro, como um todo. Ainda nos próximos dias, os pareceres dos comitentes serão documentados em relatórios que deverão orientar as ações estratégicas do CNPEM e seus Laboratórios. Uma nova sessão de avaliação deve acontecer em cerca de dois anos.

 

O CNPEM

O Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) é uma organização social qualificada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Localizado em Campinas-SP, possui quatro laboratórios referências mundiais e abertos à comunidade científica e empresarial. O Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS) opera a única fonte de luz Síncrotron da América Latina e está, nesse momento, construindo Sirius, o novo acelerador brasileiro, de terceira geração, para análise dos mais diversos tipos de materiais, orgânicos e inorgânicos; o Laboratório Nacional de Biociências (LNBio) desenvolve pesquisas em áreas de fronteira da biociência, com foco em biotecnologia e descoberta e desenvolvimento de fármacos; o Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia de Bioetanol (CTBE) investiga novas tecnologias para a produção de etanol celulósico; e o Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano) realiza pesquisas com materiais avançados, com grande potencial econômico para o país. Os quatro Laboratórios têm, ainda, projetos próprios de pesquisa e participam da agenda transversal de investigação coordenada pelo CNPEM, que articula instalações e competências científicas em torno de temas estratégicos.

Membros dos Comitês Científicos dos Laboratórios Nacionais do CNPEM

LN NOME Perfil Profissional
LNNano Markus Antonietti Diretor do Instituto Max Planck de Coloides e Interfaces e Professor da Universidade de Potsdam, na Alemanha, Markus Antonietti realiza pesquisas em síntese de novos polímeros e materiais sol-gel, química verde e ciclo do carbono, materiais energéticos, dentre outros. 
LNNano Brian Vincent PhD pela Universidade de Bristol, Brian Vincent é membro internacional do Conselho Técnico Consultivo do Instituto de Pesquisas Ian Wark, na Austrália, foi diretor do Centro de Coloides de Bristol (Bristol Colloid Centre). 
LNNano Daniel J. Lacks PhD em Química pela Universidade de Harvard, Daniel J. Lacks, é Professor de Engenharia Química da Universidade Case Western Reserve, nos EUA, desde 2003. Seu programa de pesquisa utiliza métodos estatísticos e simulações moleculares para investigar propriedade dos materiais 
LNNano Ponisseril Somasundaran Autor de 700 publicações e patentes, P. Somasundaran é membro da Academia Nacional de Engenharia e das Academias de Ciências da China, Índia e Rússia. Foi o primeiro diretor do Centro Langmuir de Coloides & Interfaces e membro fundador e diretor do National Science Foundation Center for Particulate and Surfactant Systems (NSF IUCRC CPass). 
LNNano Hans-Jürgen Butt Físico (biofísico) e microscopista de sondas, Hans-Jürgen Butt é Diretor no Instituto Max Planck de Polímeros, em Mainz (Alemanha), desde 2002. 
LNNano Bharat Bhushan Diretor do Laboratório de Nanossondas para Biotecnologia & Nanotecnologia e Biomimética (NLB2) da Universidade Estadual de Ohio, nos EUA, Bharat Bushan realiza estudos fundamentais nas áreas interdisciplinares de bio- e nanotribologia, nanomecânica e nanomateriais, dentre outros tópicos. 

 

LNNano Renato Machado Cotta Professor Titular da Escola Politérnica e COPPE, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e Coordenador Acadêmcio do Nucleo Interdisciplinar de Desenvolvimento Social (NIDES) do Centro de Tecnologia, CT-UFRJ. Membro do Comitê Executivo da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e do Executive Committee do International Center for Heat and Mass Transfer. Atua na área de Transferência de Calor e Massa, principalmente nos seguintes temas: métodos híbridos e transformação integral, fenômenos de transporte na micro e nano-escalas e intensificação de transferência de calor. 
LNNano Oswaldo Alves Professor Titular do Departamento de Química Inorgânica do Instituto de Química da UNICAMP (Brasil) e fundador/coordenador científico do Laboratório de Química do Estado Sólido (LQES).  O interesse de pesquisa de Oswaldo Alves inclui compostos lamelares, sistemas químicos integrados, nanocompósitos, quantum-dots, nanotubos inorgânicos, nanopartículas metálicas, vidros especiais para dispositivos fotônicos, desenvolvimento de nanoecomateriais, interação de nanoestruturas com biosistemas. 
LNBio Alejandro J. Vila Pesquisador Sênior do Conselho de Pesquisa Nacional Argentino (CONICET) e Professor Associado de Biofísica da Universidade de Rosário. Membro fundador e coordenador do Centro de Biologia Estrutural do Mercosul (CEBEM). Sua pesquisa é financiada por instituições nacionais e estrangeiras, tais como Antorchas Foundation, CONICET, National Science Foundation (ANPCyT), American Chemical Society, Third World Academy of Sciences, do Instituto Médico Howard Hughes (HHMI, EUA) e o Instituto Nacional de Saúde (NIH, EUA). 
LNBio Bradley S. Moore Bradley Moore é um professor de oceanografia e ciências farmacêuticas no Instituto de Oceanografia Scripps da Universidade da Califórnia, em San Diego. Moore já atuou como revisor editorial de várias publicações científicas de renome, como o Journal of the American Chemical Society, Journal of Organic Chemistry, e Proceedings of the National Academies of Science. Ele também é editor da publicação Natural Products Reports e membro do conselho editorial da Chemical Biology & Drug Design
LNBio Fernando Q. Cunha Fernando de Queiroz Cunha é professor titular da USP desde 1995. Membro da Academia Brasileira de Ciência, Consultor ad doc do CNPq , CAPES, FAPERJ e FAPESP, além de consultor de diversas revistas de circulação internacional. Pesquisador 1A do CNPq, com mais de 360 artigos publicados em revistas indexadas, além de livros e uma patente. 
LNBio Richard Garrat Possui graduação em Ciências Médicas Básicas e Bioquímica – University of London (1983), mestrado em Cristalografia – University of London (1984) e doutorado em Cristalografia – University of London (1989). Atualmente é professor titular da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Biologia Estrutural usando tecnicas de cristalografia de proteínas e modelagem molecular. É membro da Academica de Ciências do Estado de São Paulo e da Academia Brasileira de Ciências. 
LNBio Sir Simon F. Campbell Sir Simon F. Campbell liderou as equipes de pesquisa que descobriram as drogas Viagra, Cardura e Norvac, desenvolvidas pela Pfizer. Autor de mais de uma centena de publicações, Simon é doutor honoris causa pelas Universidades de Kent e Birmingham e presidente do Comitê Científico do Laboratório Nacional de Biociências (LNBio). 
LNBio Stephen Hill Stephen Hill é docente no Departamento de Farmácia da Universidade de Nottingham. Ele atuou no conselho editorial do British Journal of Pharmacology, foi vice-presidente da sociedade farmacológica britânica (2004-2006) e vencedor do prêmio BPS Sandoz (Novartis). De acordo com a ISI, ele é um dos melhores 250 pesquisadores individuais em farmacologia, de acordo com as citações de seu trabalho. 
CTBE Isaías de Carvalho Macedo “Possui graduação em Engenharia Mecânica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (1967), mestrado em Engenharia Mecânica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica(1969), doutorado em Mechanical Engineering – Thermal Sciences pela University of Michigan – Ann Arbor(1971) e pós-doutorado pela University of Michigan – Ann Arbor(1971). Atualmente é Pesquisador do NIPE da Universidade Estadual de Campinas. Tem experiência na área de Engenharia Mecânica, com ênfase em Engenharia Térmica. Atuando principalmente nos seguintes temas: Fluidos não newtonianos, Dinâmica de bolhas, Difusão retificada.”
CTBE José Luiz Olivério Engenheiro Mecânico de Produção, formado pela Escola Politécnica da USP, com vários cursos de pós-graduação, extensão universitária e especialização. Trabalhou na Vigorelli do Brasil S/A, no Grupo Villares, e na Metal Leve S/A. Atualmente, é Vice Presidente de Tecnologia e Desenvolvimento da Dedini S/A Indústrias de Base, que atua na área de bens de capital sob encomenda com ênfase em bioenergia incluindo o setor sucroenergético, e uma companhia resultante da unificação das empresas: Dedini Metalúrgica, Zanini, Codistil Dedini e Badoni.
CTBE Manoel Teixeira Souza Junior É Pesquisador A da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária desde março de 1990, estando lotado no Laboratório de Genética e Biotecnologia da Embrapa Agroenergia desde março de 2010. Chefe Geral da Embrapa Agroenergia desde 1 de setembro de 2011. Professor Orientador no Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia Vegetal da UFLavras. Foi Pesquisador da Embrapa LABEX Europa, em Wageningen nos Países Baixos, entre 03/2006 e 03/2010. Foi Destaque Individual da Embrapa recebendo Premiação por Excelência 2010, ano base 2009.
CTBE Raffaella Rossetto Atualmente é servidora pública, pesquisadora científica VI da Agência Paulista de Tecnologia do Agronegócio, desenvolvendo atividades de pesquisa junto ao programa Cana-de-Açúcar do Instituto Agronômico de Campinas – IAC. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Fertilidade do Solo e Adubação, Uso de Resíduos no cultivo da cana e questões ambientais, atuando principalmente nos seguintes temas: cana-de-açúcar, adubação, nutrição mineral, atributos químicos, qualidade do solo, dinâmica do nitrogênio. Recebeu três prêmios pela atuação no setor canavieiro.”
CTBE Alan Garside Possui mais de 30 anos de experiência em pesquisas relacionadas à agricultura tropical e 15 anos à P&D em sistemas de manejo agrícola para cana-de-açúcar.  Foi líder do “Sugar Yield Decline Joint Venture” (1994-2010), que desenvolveu com sucesso um novo sistema de manejo para a indústria de cana e açúcar da Austrália. Foi consultor na área de cana nos seguintes países: Indonésia, Papua-Nova Guiné, Argentina, África do Sul e Suazilândia. É professor aposentado da James Cook University, na Austrália.
CTBE Bruce Dale É professor e pesquisador de Engenharia Química da Universidade Estadual de Michigan e editor-chefe da revista “Biofuels, Bioproducts and Biorefining”. Em 1996, ganhou o Prêmio Charles D. Scott por contribuições no uso da biotecnologia para produzir combustíveis e produtos químicos. Em 2007, ganhou o prêmio Sterling Hendricks por contribuições para a agricultura. Foi eleito Fellow do Instituto Norte-americano de Engenheiros Químicos em 2011 e, no mesmo ano, ganhou o “Award of Excellence of the Fuel Ethanol Workshop”. Nos últimos quatro anos, foi nomeado uma das 100 Melhores Pessoas em Bioenergia, pela “Bioenergy Digest“. Já escreveu mais de 250 artigos em periódicos científicos e detém 42 patentes. Está interessado na conversão ambientalmente sustentável de matéria vegetal em produtos industriais, tais como combustíveis, produtos químicos e outros, enquanto se atende as necessidades de alimentação humana e animal.
CTBE Josse de Baerdemaker É Prof. Emérito em Engenharia de Biossistemas na KU Leuven (Katholieke Universiteit Leuven), na Bélgica. Já foi diretor da Faculdade de Engenharia para Serviços Tecnológicos, Campos Ostend. Pesquisa métodos físicos para a definição da quantidade e da qualidade de mudanças nos sistemas agrícolas e biológicos; agricultura de precisão – colheita e caracterização de solos no campo, acompanhamento das culturas, medição do rendimento, mapeamento e análise da variabilidade espaço-temporal – e; controle de processos – modelos de processos e medidas para melhorar o desempenho dos sistemas de produção biológicos e alimentares.
CTBE Lennart Salmén Seus interesses de investigação estão relacionados à compreensão da relação entre as propriedades dos constituintes poliméricos da madeira e as propriedades físicas macroscópicas de fibras, madeira e papéis. Muito do seu trabalho se dedica à interação do material celulósico com humidade, É autor de mais de 180 artigos científicos revisados ​​no campo da física de fibras, madeira e papel e editor de cinco livros. Tem trabalhado também na melhoria de polímeros celulósicos para novos produtos.
LNLS Qun Shen Qun Shen é diretor da Divisão de Fótons no Photon Sciencie Directorate do Laboratório Nacional de Brookhaven (BNL), onde está desde 2008. Antes fazia parte do AdvancePhoton Source (APS) no Laboratório Nacional de Argonne, onde foi Físico Sênior e Líder do Grupo de Microscopia e Imageamento  por Raios-X.
LNLS Galo Soler-Illa Doutor em Química especializado em Nanotecnologia, se dedica a trabalhar na área de sólidos mesoporosos e no desenho e produção de nanosistemascom arquiteturas inteligentes. Em 2003 fundou na Argentina o grupo de Química de Nanomateriais na Comissão de Energia Atômica (CNEA). É pesquisador principal no Consejo Nacional de Investigaciones Cientificas y Tecnicas (Conicet). Realiza divulgação científica em TV e é colunista do Programa Científicos industria argentina.
LNLS Jonathan Lang É diretor da divisão de Associados e faz parte da Divisão de Ciências de Raios-X do Laboratório Nacional de Argonne. Sua pesquisa concentra-se no desenvolvimento de técnicas e de instrumentação que empregam as propriedades de polarização da luz síncrotron para investigar propriedades magnéticas, especialmente em terras raras.
LNLS Nicholas Bernard Brookes Nicholas Brookes é o pesquisador responsável pela linha de luz de espectroscopia de raios-X moles no European Synchrotron Radiation Facility – ESRF.
LNLS Thomas Earnest Membro da Academia Chinesa de Ciências e é professor visitante no Shanghai Synchrotron Radiation Facility do Instituto de Física Aplicada de Shanghai. Trabalha no desenvolvimento de linhas de luz de alta capacidade para cristalografia de proteínas, imageamento coerente por raios X de células, biologia estrutural de grandes montagens biomoleculares e casos científicos com free electron lasers por raios-X para sistemas estruturais de biologia. Foi também pesquisador sênior e líder do Grupo de Desenvolvimento de Proteômica Estrutural no Laboratório Nacional de Berkeley.
LNLS Andrew Peele Diretor do Síncrotron Australiano desde 2013 e professor de física na Universidade de La Trobe. Anteriormente liderava o grupo de Ciências de Raios-X no Departamento de Física da Universidade de La Trobe.
LNLS Jean Susini Jean Susini é líder da Divisão de Serviços e Desenvolvimento em Instrumentação no síncrotrotron europeu ESRF. Ele é PhD em Física Química da Universidade Pierre Marie Curie, na França. Seus principais campos de pesquisa óticas de raios-X e técnicas e aplicações de imageamento por raios-X, com foco particular em aplicações nas áreas de meio-ambiente e herança cultural.
LNLS Rosangela Itri Atualmente é prof. Titular da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Física, com ênfase em Estrutura de Líquidos e Sólidos; Cristalografia e Biofísica. É membro titular do International Scientifc Comitte of LNLS e Diretora Científica da Sociedade Brasileira de Biofísica.
LNLS José Antônio Brum Foi diretor geral da Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron de 2001 a 2009. Atualmente é professor adjunto/MS-5.3 da Universidade Estadual de Campinas. Tem experiência na área de Física de Semicondutores, com ênfase em Nanoestruturas. Atualmente, desenvolve pesquisas também na área de sistemas complexos: redes neurais.
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone