Chuva causa aumento de cana bisada na safra 2016/2017, explica Diretor da RPA Consultoria

Publicado em 21/01/2016
UDOP em 18/01/16

Screen Shot 2016-01-21 at 1.48.31 PMNesta segunda-feira (18), o Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia – CTBE – e a Faculdade de Engenharia Agrícola (Feagri) da Unicamp divulgaram o Boletim de Monitoramento da Cultura da Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo referente ao mês de janeiro de 2016. O boletim traz a entrevista do engenheiro agrícola Ricardo Pinto, diretor da RPA Consultoria, sobre cana bisada para a safra 2016/2017.
Ele estima que entre 7 e 8% da canaprocessada até 31/12/2015, no Centro-Sul, deva ter ficado em pé, o que significa entre 41,6 e 47,5 milhões de toneladas de cana. Sendo o Paraná, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Minas Gerais os estados que mais sofreram com o El Niño.

cana bisada costuma ser colhida no início da safra seguinte, quando ganha peso (após passar pelo verão chuvoso), mas incorpora brotos chupões ao lado de cana isoporizada, o que também dificulta sua colheita”. O Engenheiro disse ainda na entrevista ao CTBE que se o volume é grande, a cana bisada sendo colhida primeiro empurra as demais canas, fazendo-as serem colhidas com mais meses e, dependendo do planejamento de colheita da usina, possibilitando melhor ATR destas canas.

Confira o boletim do CTBE e da Unicamp na íntegra clicando aqui.

 

Repercussão: CanaOnline; Biocana

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone