Brasil e Irã aprofundam cooperação em áreas estratégicas de ciência e tecnologia

Portal MCTIC em 17/11/2016

 

O secretário de Desenvolvimento Tecnológico, Alvaro Prata, e o assessor iraniano de assuntos internacionais Sohrab Assa acertaram o desenvolvimento de pesquisas conjuntas em nanotecnologia, biotecnologia e TICs.

O secretário Alvaro Prata e o assessor iraniano Sohrab Assa se reuniram nesta quinta-feira (17) em Brasília (DF). Crédito: Ascom/MCTIC

Com o objetivo de impulsionar a cooperação bilateral, o secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Alvaro Prata, e o assessor sênior de Assuntos Internacionais e Transferência de Tecnologia do Irã, Sohrab Assa, definiram, por meio de um memorando de entendimento, ações em áreas estratégicas como nanotecnologia, biotecnologia e parques tecnológicos. Uma agenda conjunta foi acertada em reunião nesta quinta-feira (17), em Brasília (DF).

“O Brasil é o 13º país em produção do conhecimento e o Irã ocupa a 17ª posição. Aproximadamente 44% do PIB [Produto Interno Bruto] deles estão relacionados com a atividade industrial. Trata-se de um país que vem se fortalecendo em muitas áreas, com destaque para nanotecnologia”, avaliou Alvaro Prata.

Segundo ele, a partir de agora, as nações irão formar um grupo de trabalho para definir ações concretas para os próximos anos. “O trabalho desse grupo deverá resultar no lançamento de editais conjuntos em que pesquisadores brasileiros e iranianos vão interagir avançando em pesquisas em diversas áreas”, ressaltou.

O memorando de entendimento prevê a cooperação e a transferência de tecnologias em biotecnologia, pesquisa e desenvolvimento de novos fármacos e produtos voltados para o setor da agricultura; pesquisas conjuntas em nanotecnologias, com destaque para nanomedicina e pesquisas na área de ciências cognitivas — que trata de questões relacionadas ao aprendizado e, mais especificamente, a neurociência —, por meio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Conselho Iraniano de Ciência e Tecnologia Cognitiva (CSTC, na sigla em inglês).

O documento define também, como interesse mútuo, explorar as possiblidades de pesquisa e desenvolvimento na área de tecnologias de informação e comunicação (TICs), incluindo hardwares, softwares, políticas cibernéticas, computação cognitiva e o desenvolvimento e a troca de conhecimentos em parques tecnológicos.

“Estou contente que o Brasil, uma das maiores nações do planeta, estabeleça essa cooperação com Irã. Espero que essa parceria faça do mundo um lugar melhor para viver, economicamente justo e sustentável para todos nós. Eu acho que podemos resolver os problemas que temos ajudando uns aos outros”, afirmou Sohrab Assa.

Do lado brasileiro, participaram da reunião ainda representantes dos ministérios da Saúde e da Agricultura, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e, via teleconferência, do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), do CNPq, da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e dos laboratórios Nacional de Nanotecnologia (LNNano) e Nacional de Computação Científica (LNCC), todos vinculados ao MCTIC.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone