BNDES anuncia a liberação de recursos a fundo perdido para fabricar etanol

Publicado em 13/03/2014

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social dará apoio de R$ 21,9 milhões a fundo perdido para a transformação da biomassa da cana-de-açúcar no combustível

Política Real, em 12/03/2014)

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou nesta quarta-feira, 12, um apoio financeiro não reembolsável de R$ 21,9 milhões para desenvolvimento da tecnologia de conversão da biomassa de cana-de-açúcar (bagaço) em combustível etanol.

Os valores serão repassados para o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), vinculado ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e acontece no âmbito da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), também vinculada ao MCT.

Inovação tecnológica

O objetivo do aporte financeiro a fundo perdido é apoiar a inovação tecnológica industrial dos setores sucroenergético e sucroquímico, cujas operações já aprovadas (oito, no total) somam R$ 1,27 bilhão. A região Nordeste é a terceira maior produtora de etanol combustível, atrás das regiões Sudeste e Centro-Oeste.

O apoio ao CNPEM, com recursos do BNDES Fundo Tecnológico (BNDES Funtec), representa 90% do total a ser investido no projeto, que usa a rota de hidrólise enzimática (reação química catalisada por uma enzima que utiliza água) para quebrar a celulose dos açúcares a serem posteriormente fermentados por microorganismos geneticamente modificados.

A operação conta com suporte das empresas Dow Brasil Sudeste Industrial Ltda. e DSM South America Ltda, responsáveis pelos 10% restantes, contribui para reforçar a capacitação de equipes brasileiras na área de pesquisa com a meta de ampliar a competência do país no desenvolvimento de novas tecnologias de conversão da biomassa de cana-de-açúcar (bagaço) em etanol.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone