Apesar de chuvas mais fracas sobre a cana em SP todo, em fevereiro, índice de vegetação foi mais crítico na região de Marília

Publicado em 23/03/2018
Notícias Agrícolas, 16/03/2018

 

Excedente hídrico no mês passado foi observado no Sul e Leste do estado, mais notamente, onde praticamente a cultura é inexpressiva. Em vegetação, a maioria das 12 mesoregiões esteve dentro do normal, com a de Ribeirão Preto acima da média, fora a de Marília, que entrou em março mais preocupante.

Confira a entrevista com Ana Cláudia dos Santos – Especialista em Sensoriamento Remoto CTBE /CNPEM

LOGO nalogo

Com base em dados do mês de fevereiro, boa parte das regiões do estado de São Paulo esteve em situação de déficit hídrico. O índice de vegetação permaneceu dentro da normalidade na maioria das 12 mesorregiões, sendo que o município de Marília é o que apresenta dados mais preocupantes, segundo boeltim mensal.

O Boletim de Monitoramento da Cana no Estado de São Paulo, produto do CTBE/CNPEM, em parceria com o Inpe e Unicamp, pode ser acessado tanto o deste mês (referente a dados de fevereiro), quanto a série histórica, pelo link http://ctbe.cnpem.br/eventos/boletim-monitoramento-cana/

Conforme explica a especialista em sensoriamento remoto do Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE/CNPEM), Ana Cláudia dos Santos, o boletim tem como característica o monitoramento da safra da cana, em que leva em consideração dados históricos de imagens de satélite e os indicativos de precipitações.

“Com essas duas informações, nós criamos os boletins de monitoramento e fazemos o acompanhamento da safra. Com isso, os produtores têm as informações e podem tomar decisões sobre o andamento dos trabalhos de campo”, reforça.

Neste momento, as regiões Noroeste localizado no Norte de São Paulo apresentam índices de vegetação acima de média histórica. Já nos municípios no centro e sul do estado estão com índices normais. No caso da vermelha indica um sinal de alerta, especialmente no município de Marília que está com índices de vegetação abaixo da média histórica.

“As maiorias das 12 regiões que estudamos estão com índices normais se comprado com a média histórica. Já no caso de Marília, foi um município que sofreu com a escassez hídrica, e por isso, está em alerta” comenta.

Mapa de índice de vegetação:

mapa do desempenho da Safra da cana

Em relação aos dados do mês anterior mostrava que as regiões como Presidente Prudente e Araçatuba estavam com o alerta amarelo e se mantiveram. Já a Araraquara conseguiu se recuperar e, portanto, está em alerta amarelo.

 

Repercussão: UDOP;